domingo, 1 de novembro de 2009

Sentir a tua falta

Quero sentir a tua falta mais sincera
como o medo que até a vida cala
tal qual o frio que a voz congela
e a navalha que no pêndulo badala

Pois a presença que se demonstra ausente
é como sentir-se devorado por uma fera
que não come por estar morta ou doente
e nos olha indiferente, como a uma pedra

E tua mão que sutil na rede meu sono embala
no pesadelo vil, vem e com punhal me assalta
expondo a todos minhas chagas em ampla sala
e sendo assim, melhor então sentir a tua falta.